Jejum Intermitente: Utopia ou estratégia válida para perda de peso?

Membro do Departamento de Nutrição da Sociedade Brasileira de Diabetes
Mestre pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Doutoranda em Clínica Cirúrgica pela Universidade Federal do Paraná
Pós-Graduada em Nutrição Clínica pelo GANEP e em Educação em Diabetes pela UNIP
Presidente do Comitê de Nutrição da BRASPEN – Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral
Treinamento avançado no Joslin Diabetes Center – Harvard
O aumento alarmante do sobrepeso e da obesidade resulta em busca constante por métodos efetivos para perda de peso. A utilização do jejum intermitente ganhou destaque na mídia leiga e médica nos últimos anos, tanto para perda de peso como melhora de parâmetros metabólicos. Esta é uma modalidade de jejum intencional programada em intervalos de tempos pré-estabelecidos, intercalados com períodos sem restrição alimentar. Existem diferentes protocolos1:

Jejum intermitente em horário restrito (intervalado): manter cerca de 8 horas de ingestão livre seguidas por cerca de 16 horas de jejum (podendo incluir o jejum noturno);
Jejum intermitente em dias alternados: dias de ingestão livre são intercalados com dias de jejum (normalmente com consumo inferior a 25% das necessidades calóricas), totalizando até 36h de jejum. Esta forma de jejum varia muito dependendo do protocolo;
Jejum intermitente prolongado periódico: o jejum dura no mínimo 24h e ocorre geralmente entre uma ou duas vezes por semana.
Muitos estudos clínicos mostram que o jejum intermitente promove perda de peso associada com perda de gordura corporal e de circunferência da cintura, além de benefícios metabólicos. Entretanto, a limitação da grande maioria destes estudos é incluir um n pequeno e carecer de grupo controle, e portanto de comparação com outros métodos de perda de peso. Além disso, a maioria dos estudos não avalia a perda de peso e manutenção da perda em longo prazo1-13.

Leia também: como fazer Jejum Intermitente

Alguns estudos clínicos se destacam pelo número maior de participantes e existência de grupo controle. Destes, alguns mostram que a perda de peso é superior utilizando o jejum intermitente quando comparado com restrição calórica contínua convencional. Outros estudos, entretanto, não mostram diferença significativa entre os métodos. Poucos estudos concluem, ainda, que a restrição calórica contínua promove perda de peso superior ao jejum intermitente. As meta-análises e revisões sistemáticas também divergem nos resultados encontrados1-13.

Leia também: Kifina reclame aqui

Em pacientes com diabetes mellitus, com sobrepeso ou obesidade, a perda de peso com o jejum intermitente resulta na mesma controversa de resultados e limitações citadas – mas parece reduzir mais a resistência à insulina quando comparado com a restrição calórica contínua1-13. Estudo recente14 mostrou que o jejum intermitente em horário restrito (permitindo ingestão alimentar até as 15:00h) resultou em redução da insulina de jejum em homens com pré-diabetes, mesmo sem apresentar perda de peso (a proposta do estudo foi de compensação calórica para que não houvesse perda de peso). Muitos estudos mostram que a redução da glicemia de jejum, entretanto, não apresenta diferença quando comparada com a restrição calórica contínua. É importante destacar que, em pacientes com diabetes, o jejum intermitente pode aumentar os episódios de hipoglicemia, o que exige educação prévia e ajuste nas doses de medicamentos 15.

Leia também: Phytophen reclame aqui

Conclusão: Os resultados encontrados na literatura são divergentes, o que pode ser explicado pela grande variedade de protocolos aplicados e pela heterogeneidade dos participantes incluídos. Entretanto, é possível concluir que a prática do jejum intermitente é eficaz para perda de peso, podendo ser mais uma ferramenta para este difícil desafio. Mas, é importante destacar também que, até o momento, a prática do jejum intermitente não pode ser considerada superior à restrição calórica contínua convencional. O profissional que optar por esta prática deve se basear nas individualidades de cada paciente para avaliar o benefício e possíveis riscos da utilização do jejum intermitente em substituição a outras modalidades convencionais de perda de peso.

Leia também: Farinha seca barriga reclame aqui

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *